Durante o evento Facebook Connect realizado na tarde desta quinta-feira (28), o CEO da empresa, Mark Zuckerberg, comunicou a mudança de nome do Facebook. Agora, a companhia passará a se chamar “Meta”.

Facebook vai passar a designar-se Meta, uma mudança de nome corporativa e que não afeta as plataformas individuais como a rede social Facebook, o Instagram ou o WhatsApp. Recorde-se que a Google fez uma manobra semelhante, com a mudança para Alphabet, em 2015.

A alteração, anunciada agora por Mark Zuckerberg durante a conferência Connect, surge depois de terem surgido vários documentos internos e denúncias de que a empresa coloca o lucro à frente da segurança e dos interesses dos utilizadores. A mudança para Meta serve também de impulso para o conceito de metaverso de que Zuckerberg tem vindo a falar insistentemente nos últimos tempos. O executivo pretende construir um mundo online híbrido, onde as pessoas podem jogar, trabalhar e comunicar, de forma virtual e remota e muitas vezes com o auxílio de headsets de Realidade Virtual (em que a empresa está também a apostar).

A nova marca “não consegue representar tudo o estamos a fazer hoje, muito menos no futuro”, justifica Zuckerberg, citado pela BBC. “Com tempo, o que espero é que sejamos vistos como uma empresa do metaverso e quero ancorar o nosso trabalho e identidade ao que estamos a construir”.

A mudança de nome também traz uma nova forma de apresentar as contas, com o negócio a ser dividido entre o segmento de apps e um outro para o trabalho de futuro da empresa. Além do nome, o grupo vai passar também a usar um novo logotipo, afastando-se do icónico polegar para cima e optando por um símbolo de infinito estilizado, para ser usado em 3D e num tom gradiente de azul.

O termo Meta vem do grego ‘Além’ e, segundo alguns especialistas, o metaverso pode mesmo ser o futuro da Internet: em vez de precisar de um computador, o utilizador pode colocar o headset e entrar num mundo virtual onde pode trabalhar, socializar e encontrar entretenimento, em várias plataformas virtuais. O comunicado da Facebook sobre esta novidade explica que “o metaverso será um espaço virutal 3D social onde se podem partilhar experiências imersivas com outras pessoas, mesmo quando não se pode estar pessoalmente junto – e fazer coisas juntos que não poderia fazer no mundo físico”.

@exameinformatica

//oneclick.pt/media/white_logo_transparent_oneclick-footer-e1628116008627.png